Todos por São Luís

sábado, 29 de agosto de 2015

Bira do Pindaré se fortalece para disputar a Prefeitura de São Luís pelo PSB; segmentos do partido entregam carta ao presidente nacional

Nenhum comentário:
O deputado licenciado e Secretário de Estado da Ciência e Tecnologia, Bira do Pindaré, está mais fortalecido para disputa a Prefeitura de São Luís. 

Durante o Encontro Estadual, realizado neste sábado (29), em São Luís, segmentos do partido entregaram uma carta ao presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, onde defendem o nome de Bira do Pindaré para a disputa.

No documento, os segmentos organizados do PSB afirmam que reuniram-se visando o fortalecimento das demandas e o avanço na luta e na consolidação da legenda no Estado do Maranhão.

"Ousamos em propor um nome forjado na luta dos trabalhadores, de origem no bravo povo negro, pautado na luta das mulheres e com esperança e força na juventude. Reconhecemos no companheiro Bira do Pindaré as qualidades defendidas dia a dia pelos movimentos sociais", diz a carta.

Acrecentam que Bira do Pindaré tem história, coragem e conhecimento administrativo das transformações sociais que São Luís precisa.

"Acreditamos, queremos e venceremos. Bira prefeito de São Luís", acentuam.

O documento é assinado pela Juventude Socialista Brasileira (JSB), Sindicalismo Socialista Brasileiro (SSB), Movimento Popular Socialista (MPS) e Mulheres Socialistas (MS).

Bira do Pindaré, em resposta ao apoio recebido pelos diversos segmentos do partido, disse que aceita o desafio. "Se é desejo do PSB, se é decisão do PSB, eu aceito ser candidato a prefeito de São Luís", disse. Bira foi bastante aplaudido pela militância do partido.

Confira a íntegra do carta de apoio à candidatura de Bira do Pindaré a prefeito.




Márcio Jerry esclarece fala do presidente do BNDES e acusa jornal da família Sarney de distorcer os fatos

Nenhum comentário:
Por Jorge Vieira
Márcio Jerry diz que jornal de Sarney mente para atingir Flávio Dino

O secretário de Articulação Política do Governo, Márcio Jerry usou o Twitter para esclarecer declaração do presidente do BNDES, Luciano Coutinho, na CPI, ao responder pergunta do deputado André Fufuca, sobre obras executadas com recursos do banco que teriam sido paralisadas por decisão do governo do Estado, divulgada pelo jornal O Estado do Maranhão.

Segundo Jerry, “Jornal de José Sarney distorce fala do presidente do BNDES, Luciano Coutinho, para atacar Flávio Dino. Vergonha”. 

Ele explica que “O governador Flávio Dino, de fato, reorientou a aplicação dos recursos do BNDES para inseri-los num projeto estratégico e impedir desperdício”.

Em outras duas publicações, o secretário esclarece que “Luciano Coutinho informou que no governo Flávio Dino foi feito “remanejamento e replanejamento” na aplicação dos recursos”. 

Disse, ainda, que Luciano Coutinho se limitou a dizer que determinado questionamento do deputado André Fufuca deveria ser respondido pelo Governo do Maranhão.



Roberto Rocha tentou esvaziar encontro estadual do PSB

Nenhum comentário:
Blog Marrapá

Roberto Rocha programou o inauguração do diretório municipal do PSB para o mesmo dia do encontro estadual.

Não decolou a tentativa do senador Roberto Rocha de sabotar o Encontro Estadual do PSB, partido do qual faz parte, marcado para este sábado (29), na sede da Fetaema, no Araçagy.

O autoproclamado “asa de avião” quis provar que é o dono da legenda no Maranhão e, com a arrogância que lhe é peculiar, também marcou para hoje, a inauguração da sede municipal do partido, localizada na Avenida Beira Mar, Centro de São Luís.

Convite distribuído por orientação de Roberto Rocha
A tentativa de esvaziar o evento que contará com a presença dos governadores do Maranhão, Flávio Dino, de Pernambuco, Paulo Câmara, e do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, provocou revolta entre os socialistas.


Pressionado pela militância, voltou atrás e mandou a assessoria remarcar, no final da noite dessa sexta, o ato do diretório municipal para o mesmo local e horário do encontro estadual.

Uma das maiores expectativas em torno do Encontro Estadual do PSB é a consagração da pré-candidatura de Bira do Pindaré a prefeito da capital.

Atual presidente do PSB em São Luís, Roberto quer apoiar a candidatura de Eliziane Gama (PPS) para o Palácio de La Ravardière, acreditando que poderá emplacar o filho, o vereador Roberto Rocha Junior, como o vice da chapa dela na disputa contra o prefeito Edivaldo Holanda Junior (PDT).

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

“O fortalecimento do PDT é o fortalecimento do nosso campo político”, diz Flávio Dino

Nenhum comentário:
Um dos maiores aliados do Governo e do PCdoB no Maranhão, o Partido Democrático Trabalhista (PDT) realizou convenção, nesta sexta-feira (28), para filiação de vereadores e 23 prefeitos maranhenses, entre eles os gestores de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, e de São José de Ribamar, Gil Cutrim.

Presente no evento, o governador Flávio Dino ressaltou que o fortalecimento do PDT significa muito para o Brasil, Maranhão e para o atual Governo. Em seu discurso, Flávio Dino enfatizou que a união do PCdoB com o PDT foi preponderante para a vitória nas últimas eleições no Maranhão e agradeceu a contribuição que a legenda vem dando ao Governo. “Uma coisa é vencer a eleição, outra coisa é governar bem. A população reconhece o trabalho sério, honesto, coerente e corajoso que nós fazemos à frente do Governo do Maranhão, e isso é possível também em razão da presença do PDT no nosso Governo”, frisou Dino.

O governador reconheceu o trabalho desenvolvido pelos secretários de Estado do Trabalho, Julião Amim, de Agricultura, Marcio Honaiser, de Educação, Áurea Prazeres, e pela subsecretária de Saúde, Rosângela Curado, no Governo do Estado, todos das fileiras do PDT. “Me perguntaram aqui se eu estaria chateado ou preocupado ou com ciúme do fortalecimento do PDT. E eu respondi que fortalecer o PDT é fortalecer o Brasil, o Maranhão e o nosso campo político”, destacou o governador.

Flávio Dino lembrou ainda que não seria o militante político que é hoje sem o respeito que tem de grandes dirigentes do PDT, como Neiva Moreira, Jackson Lago, Darcy Ribeiro e Leonel Brizola. Ele retribuiu a parceria da legenda homenageando a direção e a militância do partido em todo o Maranhão nas pessoas do presidente estadual da sigla, deputado federal Weverton Rocha, do presidente nacional, Carlos Lupi, e do ministro do Trabalho, Manoel Dias.

No cenário nacional, Flávio Dino destacou a luta do PCdoB e do PDT na defesa da constituição, da democracia e para que a presidenta Dilma possa continuar a governar na luta por mais justiça e políticas sociais em favor do povo brasileiro. “Vivemos um momento difícil, vivemos em um momento em que a nossa nação é desafiada a dar novas respostas àquilo que nosso povo mais pobre precisa. Mas nós só conseguiremos encontrar esse caminho, se nos mantivermos unidos”, disse Dino.

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior, foi um dos prefeitos que se filiou ao PDT. Egresso do PTC, onde acumulou dois mandatos de vereador, um de deputado federal e foi eleito prefeito da capital, o novo pedetista agradeceu o partido saudando o ex-governador Jackson Lago. “Não há como falar do PDT sem lembrar um grande homem, um grande líder que fez história nessa cidade, neste Maranhão, no país, fazendo parte da executiva nacional do PDT, o doutor Jackson Lago”, aclamou.

O prefeito de São Luís agradeceu também ao governador Flávio Dino pela parceria entre a Prefeitura e o Governo que vem alavancando o desenvolvimento da capital, com a pavimentação de ruas, avanços na educação e a construção do Hospital da Criança. “São Luís vive um novo momento. Lado a lado Prefeitura e Governo do Estado caminhando juntos e enfrentando os problemas”, relevou Edivaldo.

Lobista que negocia delação indica que entregará a cúpula do PMDB

Nenhum comentário:
GABRIEL MASCARENHAS
DE BRASÍLIA
BELA MEGALE
FOLHA DE SÃO PAULO
O lobista Fernando Soares, conhecido 
como Fernando Baiano, detido pela 
Operação Lava Jato

Apontado com operador do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras, o lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano, indicou para integrantes do Ministério Público Federal que pode entregar informações sobre a suposta participação de três figuras de peso do partido nos desvios de recursos da estatal.

A Folha apurou que ele citou os nomes do presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), do ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (RN), e do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (RJ).

O lobista também adiantou que tem como fornecer mais elementos sobre o papel de Nestor Cerveró, ex-diretor da área internacional da Petrobras, no esquema.

Embora não tenha detalhado a atuação de trio peemedebista ou de Cerveró, Baiano adiantou que pode contribuir com informações novas. Essa é a condição imposta pelos investigadores para fechar o acordo, que garantiria ao lobista penas atenuadas pelos crimes que cometeu.

As conversas com Baiano começaram há cerca de um mês, em Curitiba, onde o lobista está preso numa cela da Superintendência da Polícia Federal desde novembro de 2014. Só na última semana, ele teve dois encontros com os procuradores.

Apesar de não ter assinado os termos da delação, o que deve ser feito na próxima semana, o acordo está praticamente fechado, segundo fontes ligadas à Policia Federal e à defesa do lobista.

Os maiores entraves aconteceram devido ao tempo de prisão. A defesa queria que, com a colaboração, Baiano saísse imediatamente da cadeia, mas a Procuradoria não cedeu. O mais provável é que ele saia apenas em novembro.

Baiano também tentou a negociar morar fora do Brasil, já que sua mulher tem cidadania americana. O argumento do operador era que gostaria de reconstruir a vida no exterior com a família. Novamente o Ministério Público vetou o pedido.

Cunha, Renan e Cerveró já são alvo da Lava Jato. Cunha foi denunciado ao STF (Supremo Tribunal Federal) na semana passada por corrupção e lavagem de dinheiro. Cerveró já foi condenado, também por corrupção e lavagem de dinheiro. Renan é alvo de inquérito em curso no STF.

Procurados, Renan e Henrique Alves informaram que não iriam se pronunciar. O advogado de Eduardo Cunha não retornou os contatos feitos pela reportagem. A assessoria do PMBD afirmou que jamais autorizou quem quer que seja a se apresentar como operador da legenda.

Já Edson Ribeiro, advogado de Nestor Cerveró, disse que informações colhidas em delações premiadas de suspeitos presos em Curitiba não têm qualquer credibilidade. De acordo com ele, esses personagens sofrem terror psicológico e só aceitam falar para se verem livres da carceragem da PF.

Questionado sobre a possibilidade de o ex-diretor da Petrobras se tornar delator, Ribeiro disse que "não haverá delação premiada.

Segundo a Folha apurou, no entanto, a defesa de Cerveró preparou um material volumoso, com 25 anexos, e até o filho do ex-diretor vem acompanhando as reuniões com a Procuradoria. Mesmo assim, as conversas não evoluem, já que os procuradores consideram insuficiente o que ele vem relatando.

O executivo comoveu os companheiros da carceragem por passar a madrugada de quinta ( 27) chorando ao receber a notícia de que sua negociação não estava indo bem. Cerveró recebe todas as semanas a assistência de um psiquiatra.

Ex-deputada diz que ‘nunca conheceu’ funcionária de seu gabinete por quatro anos

Nenhum comentário:
Aline Corrêa, filha do ex-deputado Pedro Corrêa – preso no Mensalão e na Lava Jato – declarou à Justiça Federal que nomeou Reinasci Cambuí de Souza, empregada doméstica, a pedido do pai

Aline Corrêa. Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
Por Julia Affonso, Fausto Macedo e Ricardo Brandt
O Estado de São Paulo

A ex-deputada Aline Corrêa (PP/SP), filha de Pedro Corrêa – ex-deputado e líder do PP, preso duas vezes, no Mensalão e na Lava Jato – declarou à Justiça Federal que empregou em seu gabinete na Câmara por mais de quatro anos uma funcionária que ‘nunca conheceu’. Segundo ela, seu pai, preso em Curitiba sob suspeita de ter recebido R$ 40,7 milhões em propinas do esquema de corrupção instalado na Petrobrás entre 2004 e 2014, lhe pediu ‘um cargo’. Foi logo no seu primeiro mandato (2007/2011).
Reinasci Cambuí de Souza, a indicada de Pedro Corrêa, era, na verdade, empregada doméstica do ex-deputado, cassado em 2006 no processo do Mensalão.
VEJA O DEPOIMENTO DE ALINE CORRÊA
A força-tarefa da Lava Jato sustenta que o salário de Reinasci na Câmara era ‘revertido’ em favor do próprio ex-parlamentar e da filha dele. Ao todo, Pedro e Aline teriam repartido R$ 622 mil supostamente pagos à doméstica.
“Nunca recebi salário da Câmara”, disse Reinasci à Justiça, em depoimento no dia 30 de junho.
Aline Corrêa declarou. “Ele (Pedro Corrêa) pediu um cargo no meu gabinete e depois veio o nome dela, o Ivan Vernon (ex-chefe de gabinete do então deputado) me trouxe o nome dela”, disse Aline ao juiz federal Sérgio Moro. Ela é ré em ação penal por corrupção, lavagem de dinheiro, peculato e organização criminosa, mesmas acusações atrtibuídas ao pai.
Reinasci Cambuí de Souza ficou ‘lotada’ no gabinete da filha de Pedro Corrêa ‘do finalzinho de 2007 até 2011′.

Na audiência na Justiça Federal, realizada nesta quarta-feira, 26, o juiz Sérgio Moro perguntou a Aline se ela conhecia Reinasci. “Nunca vi Excelência”, admitiu a ex-deputada.
“Ela não trabalhou, não foi lotada em seu gabinete?”, questionou o juiz da Lava Jato.
Aline Corrês respondeu. “Ela foi lotada no meu gabinete, aí eu reconheço uma negligência da minha parte, até por falta de experiência no meu primeiro mandato. Foi um pedido de meu pai. A gente tem um espaço lá de ter até 25 pessoas (no gabinete de deputado). Eu tive no começo muita dificuldade de montar minha equipe, pessoas que tivessem identidade com meu estilo de trabalho. Eu não queria nenhuma pessoa que fosse do meu pai a princípio. Eu queria montar a minha equipe. Tentei isso meu mandato inteiro para ter meu formato de trabalho.”
“A Reinasci foi um pedido, meu pai me fez, para que eu tivesse uma pessoa trabalhando para mim no partido”, prosseguiu a ex-deputada. Segundo ela, seu pai lhe disse. “Aline, olha Reinasci é uma pessoa que trabalhou comigo, você pode pôr no seu gabinete que ela vai lhe dar uma assessoria através do Ivan Vernon. Ele vai ficar conduzindo seu espaço que precisar dentro do partido.”
“Essa foi a informação que eu tive Excelência”, disse Aline ao juiz Moro.
“A sra nunca viu essa pessoa?”, perguntou novamente o juiz. “Não”, admitiu Aline.
“Seu pai não havia pedido?”
“Ele pediu um cargo no meu gabinete e depois veio o nome dela e o Ivan Vernon me trouxe o nome dela.”
“Ela ficou quatro anos aproximadamente e a sra nunca…?”, prosseguiu o juiz, demonstrando perplexidade.
“Excelência, na verdade eu nunca tive, é onde eu reconheço minha, talvez, falta de experiência. Eu estava dando um cargo para aquela pessoa me ajudar no partido. Eu não precisva ter convivência com ela. Agora, depois dos fatos eu soube quem era essa pessoa.”
“Ajudar como em quatro anos? A sra não levantou nenhuma pessoa sobre essa pessoa?”
“Não, Excelência, não levantei. Na verdade, a coordenação do trabalho dela para mim era o Ivan Vernon. Eu não tinha uma relação direta com Ivan. Ele nunca teve nenhum vínculo comigo.”

Traficante morre em confronto com a PM na região de Pedrinhas

Nenhum comentário:
O traficante Melkzedeque Oliveira dos Santos, conhecido como Melk, foi morto no fim da manhã desta quinta-feira (27) em confronto com a polícia no Mangue Seco, na região de Pedrinhas. Tudo começou quando por voltas das 11h30, na BR 135, Melkzedeque avistou uma barreira policial de uma operação conjunta da Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil.

Ao avistar a barreira, Melkzedeque, que estava num carro Golf, vermelho, retornou na contramão de direção, momento em que foi abordado por uma equipe do choque e revidou atirando contra os policiais, empreendendo fuga. Após diligencias, o Serviço de Inteligência da PMMA localizou o veículo no bairro Mangue Seco, onde Melk, como é conhecido, novamente atirou contra os policiais que revidaram, vindo a óbito. 

Com Melk, estava Leilson Marques da Luz, 19 anos, preso. Um terceiro conhecido por Adê que dirigia o Golf, vermelho de placas MNR 3444, conseguiu fugir, mesmo baleado. Melk, ainda foi levado ao Hospital Dr. Clementino Moura.

Segundo o coronel Egídio, do Comando de Policiamento da Área Metropolitana 3 (CPAM 3), além de ser conhecido por provocar o terror dos moradores da Vila Colier, Melk também é apontado como um dos principais suspeito de ter matado a tiros o adolescente Jeferson Sousa, de 16 anos, nas proximidades da escola onde estudava, a Unidade Escolar Básica José Gonçalves do Amaral Raposo, em Pedrinhas, na noite de quarta-feira (19).

Na ocasião ocorrida semana passada, a guarnição da Polícia Militar ficou sabendo do fato por meio do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) e ao chegar ao local encontrou o corpo da vítima caído em via pública com uma marca de bala no tórax. Os militares receberam a informação de moradores que o adolescente tinha sido baleado pelo fato de ser parecido fisicamente com um traficante, identificado apenas como Macaquice, e o principal autor do disparo seria o Melk. O adolescente era morador da Vila Cabral e estaria indo a escola.

Melk foi recapturado por policiais militares em abril de 2014, quando estava na condição de foragido e cumpria pena no Complexo Penitenciário de Pedrinhas pelo crime de roubo. Além dessa prática criminosa, era apontado como integrante de uma facção criminosa, envolvida com tráfico de drogas, homicídios e assaltos. Melkzedeque foi beneficiado pelo indulto de Natal e não teria retornado a penitenciária, e desde então era procurado pela polícia.

Já em junho de 2014, fugiu da penitenciária de Pedrinhas e desde então estava foragido.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Quase 40% dos senadores têm pendências criminais

Nenhum comentário:
Pelo menos 30 dos 81 integrantes do Senado respondem a inquérito ou ação penal no Supremo Tribunal Federal. Condenado há dois anos, um deles recorre para não ir para a prisão. Confira o levantamento da Revista Congresso em Foco.
Supremo tem denúncia contra Renan para julgar há mais de dois anos. Collor está a um passo de virar réu na Lava JatoQuase 40% dos senadores estão sob investigação no Supremo Tribunal Federal (STF).

do Congresso em Foco

Dos 81 integrantes do Senado, pelo menos 30 respondem a inquéritos ou ações penais na mais alta corte do país. As suspeitas vão de crimes de corrupção, contra a Lei de Licitações e eleitorais até delitos de menor gravidade, como os chamados crimes de opinião. Entre os investigados, 12 são alvos da Operação Lava Jato, como o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ex-presidente da República Fernando Collor (PTB-AL), único senador denunciado até agora pela Procuradoria-Geral da República.

Os dados são de levantamento exclusivo da nova edição da Revista Congresso em Foco. Desde agosto de 2013, o senador Ivo Cassol (PP-RO) vive com um pé no Senado e outro no Supremo. Primeiro e único senador condenado à prisão pela mais alta corte do país, Cassol se agarra a recursos para não ter o mesmo destino que seu colega de estado, o ex-deputado Natan Donadon (RO), que saiu da Câmara diretamente para o Complexo Penitenciário da Papuda. O ex- -governador foi condenado a quatro anos e oito meses de prisão, em regime semiaberto, e ao pagamento de multa de R$ 201 mil, acusado de ter direcionado licitações a empresas de conhecidos entre 1998 e 2002, quando era prefeito de Rolim de Moura (RO). Em setembro de 2014, o Supremo rejeitou as contestações de Cassol.

No fim do ano, a Procuradoria-Geral da República voltou a se manifestar contra o recurso apresentado pela defesa. A eventual confirmação da sentença implica o início do cumprimento da pena e a abertura do processo de cassação do mandato. Essa, porém, não é a única dor de cabeça dele na Justiça. Cassol é o senador com mais pendências no Supremo. Seu nome figura em dez investigações. Além da condenação, enfrenta duas ações penais, por calúnia e crime eleitoral, e outros oito inquéritos por peculato, improbidade administrativa, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, corrupção passiva, crimes contra o meio ambiente, contra o sistema financeiro e contra a Lei de Licitações. “Responderei apenas na Justiça o que devo a ela”, disse o ex-governador ao ser procurado pela reportagem.

Em princípio, ser investigado não indica qualquer problema. Afinal, em um regime democrático, todo cidadão é considerado inocente até que se prove o contrário. No STF, para realizar o julgamento de culpado ou inocente, aquele que é considerado suspeito passa por dois procedimentos. Primeiramente, o inquérito, etapa pré-processual para averiguar reais indícios da prática criminosa. Caso encontre elementos consistentes de que o investigado praticou o crime, a Procuradoria-Geral da República apresenta uma denúncia. Se o Supremo a aceitar, o parlamentar passa à condição de réu em ação penal. É nesta fase que ocorrem os julgamentos.

Desde janeiro de 2013, há um parecer da Procuradoria-Geral da República oferecendo denúncia contra o presidente do Senado, Renan Calheiros. Dois anos e meio depois, o pedido não foi analisado. Renan é acusado de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso no Inquérito 2593, que apura crimes atribuídos a ele em 2007, quando teve de renunciar à presidência do Senado em meio a uma série de acusações. Atualmente, ele é investigado em outros três inquéritos da Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro.

A PGR sustenta que o senador enriqueceu ilicitamente, forjou documentos para comprovar que tinha recursos para bancar despesas pessoais e teve evolução patrimonial incompatível com o cargo. Os fatos se referem à denúncia feita por Mônica Veloso, com quem tem uma filha, de usar dinheiro repassado por lobista da empreiteira Mendes Júnior para pagar pensão e aluguel da ex-amante. Pela mesma denúncia, Renan virou réu por improbidade administrativa na 14ª Vara da Justiça Federal de Brasília, em junho.

Como mostrou a Revista Congresso em Foco, dos mais de 500 parlamentares investigados pelo Supremo desde 1988, só 16 foram condenados pelos ministros. Desses, metade escapou da punição ou tenta revertê-la. Quase 25% dos casos envolvendo parlamentares arquivados pelo tribunal nos últimos anos foi para o arquivo por prescrição.

Os senadores sob investigação no Supremo

Veja a relação dos integrantes do Senado que respondem a inquérito e ação penal no STF. Clique no nome para ver quais são as acusações e as respectivas explicações dos parlamentares. Clique no nome de cada um para ter acesso a mais detalhes.






























Justiça determina que vice assuma cargo de prefeita foragida no MA

Nenhum comentário:
Malrinete Gralhada (PMDB) aguarda ser empossada pela Câmara Municipal.
Lidiane Leite está foragida da PF desde a semana passada.

Do G1 MA

O juiz Cristóvão Sousa Barros, titular da 2ª Vara da Comarca de Bom Jardim (MA), concedeu, nesta quinta-feira (27), mandado de segurança determinando que a vice, Malrinete Gralhada (PMDB), assuma imediatamente a prefeitura da cidade, que está sem gestor desde que a prefeita Lidiane Leite da Silva, de 25 anos, fugiu após ter a prisão decretada pela "Operação Éden", da Polícia Federal. O Ministério Público já pediu a indisponibilidade dos bens e o afastamento de Lidiane por meio de duas ações civis públicas por improbidade administrativa.

Na decisão, o juiz Cristóvão Sousa Barros afirma que a medida visa a "proteção do interesse público diante da situação de insegurança social e política que vive a Comunidade de Bom Jardim". A determinação vale "enquanto perdurar o impedimento da prefeita", observa o magistrado.
saiba mais

Procurado pelo G1, o advogado da prefeita Carlos Sérgio de Carvalho disse que ainda não tinha conhecimento da decisão e informou que Lidiane está estudando pedir o próprio afastamento da prefeitura em breve.

A vice Malrinete Gralhada (PMDB) disse aoG1 que vai aguardar ser empossada pela Câmara Municipal. "Eu tenho prazo de 24 horas para a câmara me dar posse, mas o presidente, vereador Arão Silva, está em São Luís. Eu já falei com o vice [vereador Cinego], que está aguardando a documentação da Justica", informou.

Gralhada se disse pronta para assumir a cidade, que vive clima de incerteza. "Eu estou pronta para assumir e pronta para trabalhar pelo nosso município. Vamos, inicialmente, retomar a estabilidade. Temos que colocar o funcionalismo em dia, pois uns receberam os salários e outros não. E, de imediato, vamos pedir uma auditoria nas contas do município e regularizar a merenda escolar", garantiu.

A vice havia ajuizado mandado de segurança no Fórum de Bom Jardim, na terça-feira (25). Ao G1, ela revelou que estava impedida de entrar na sede da prefeitura desde 2013, por determinação de Lidiane.


Ministério Público

A Promotoria de Justiça de Bom Jardim ajuizou ações na Justiça pedindo a indisponibilidade dos bens e o afastamento da prefeita do cargo. Também foram denunciados o ex-secretário municipal Beto Rocha, namorado de Lidiane, preso no dia 20 de agosto pela PF; os empresários Antônio Oliveira da Silva, Karla Maria Rocha Cutrim (Zabar Produções), Fabiano de Carvalho Bezerra, Raimundo Nonato Silva Abreu Júnior, o motoboy Anilson Araújo Rodrigues (A4 Entretenimento) e o contador e pregoeiro do Município Marcos Fae Ferreira França.

STJ e Interpol
A ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Maria Thereza de Assis Moura, negou o pedido de habeas corpus à Lidiane. O superintendente da PF no Maranhão, Alexandre Saraiva, disse ao G1 que solicitou à Interpol a inclusão do nome da prefeita na lista vermelha da organização.

Ostentação

A rotina de viagens, festas, roupas caras, veículos e passeios de luxo é incompatível com o salário de pouco mais de R$ 12 mil que Lidiane recebia como prefeita de Bom Jardim e passou a compartilhar por meio de fotos nas redes sociais.

"Eu compro é que eu quiser. Gasto sim com o que eu quero. Tô nem aí pra o que achem. Beijinho no ombro pros recalcados", comenta a prefeita na internet. Em outro post, ela diz: "Devia era comprar um carro mais luxuoso pq graças a Deus o dinheiro ta sobrando (sic)".

Antes de começar a ostentar luxo na web, a prefeita teve uma vida humilde e vendia leite na porta da casa da mãe, em Bom Jardim.

Flávio Dino anuncia conjunto de ações para a Baixada Maranhense ao lado do ministro do Desenvolvimento Agrário

Nenhum comentário:

O governador Flávio Dino lançou no município de São Bento, ao lado do ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, um conjunto de ações nas áreas de Educação, Agricultura, Regularização Fundiária, Produção, Segurança e Cidadania para os municípios da Baixada Maranhense. A entrega de títulos de regularização fundiária, concessão de terrenos para instalação de sistemas de abastecimento de água, o lançamento do Plano Safra e o anúncio da reforma e ampliação do Campus da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) foram algumas das ações anunciadas pelo Governo do Estado e Governo Federal para o município de São Bento. 

O ministro do Desenvolvimento Agrário lançou o Plano Safra da Agricultura Familiar 2015/2016 para o Maranhão. O Plano Safra apoia o desenvolvimento rural e o fortalecimento da Agricultura Familiar a partir do crédito de R$ 500 milhões. O ministro Patrus entregou ainda 500 títulos rurais e 20 títulos urbanos através do Programa Terra Legal que regulariza áreas que estão em terras federais.

Patrus Ananias elogiou a iniciativa do governador em dar prioridade ao pequeno produtor, mostrando ser sensível às causas sociais e com isso proporcionar desenvolvimento com inclusão. “Acredito no desenvolvimento da agricultura familiar como espaços de vida”, disse o ministro.

Governador lança Feiras Agrotecnológicas

Um espaço para troca de experiências, exposição e comercialização de produtos, as Feiras Agrotecnológicas (Agritec) serão realizadas em quatro municípios do Maranhão até o fim do ano e têm como objetivo impulsionar o desenvolvimento da Agricultura Familiar em todo o estado.“Esse era um sonho da região, que esperou muitos anos por políticas de valorização da agricultura na Baixada Maranhense”, disse o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Adelmo Soares.

Durante o lançamento da Feira Agrotecnológica de São Bento, o governador Flávio Dino anunciou a reforma e ampliação do Campus da Uema em São Bento onde serão investidos mais de R$ 9 milhões para a construção de salas de aula, auditório, alojamento e reformas estruturais. Serão implantados cursos de graduação, na modalidade presencial, em Ciências Agrárias, criando 500 novas vagas para os alunos no primeiro ano.

“O governo investe em duas causas principais: Educação e Produção. Por isso, todas as obras anunciadas hoje dizem respeito a esses dois pontos, pois é por este caminho que o Maranhão se tornará grande, competitivo e com mais justo socialmente”, afirmou o governador Flávio Dino.

No lançamento da Agritec, o ministro Patrus Ananias assinou 30 contratos do Programa Mais Alimentos, do Governo Federal, que concede linha de crédito aos agricultores familiares para investimentos em propriedades rurais. O Selo Quilombos Brasil foi entregue pelo ministro a representantes das comunidades quilombolas do Maranhão que participam da Agricultura Familiar, gerando trabalho e renda. 

Como parte da política de ações permanentes de regularização fundiária, o Governo do Estado concedeu terrenos ao município de São Bento, destinados à construção de sistemas de abastecimento de água na zona rural do município. Ainda durante a Feira, o governador Flávio Dino assinou a mensagem do projeto de lei, que será encaminhado à Assembleia Legislativa, criando o Programa CNH Rural. O Programa isentará o pagamento da Carteira de Motorista a trabalhadores rurais de baixa renda no estado. 

O programa que concedeu duas mil carteiras de habilitação gratuitas aos jovens de escola pública no Maranhão, o CNH Jovem, é agora ampliado aos trabalhadores que residem na zona rural do Maranhão, acima de 21 anos e que tenham no mínimo o Ensino Fundamental completo.

Também marcaram presença no evento o vice-governador Carlos Brandão, o deputado estadual Othelino Neto, o prefeito de São Bento, Carlos Alberto Pereira;o secretário nacional de Agricultura Familiar, Onaur Ruano; o secretário de Estado da Igualdade Racial, Gerson Pinheiro, professor da Uema, Gustavo Pereira; o delegado geral do MDA no Maranhão,Vicente Mesquita e representantes do Incra, Conab, Iterma, Embrapa, Sebrae, Banco do Brasil, Detran e movimentos sociais Aconerucq, STTR, Fetaema, Fetraf e Miqcb.

A Agritec

Resultado da parceria entre o Governo do Estado, Serviço e Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Maranhão (Sebrae) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a 1ª Feira de Agricultura Familiar e Agrotecnológica do Maranhão (Agritec) segue até sábado (29), em São Bento. O evento deve atrair cerca de 15 mil pessoas nos três dias de realização.

A Agritec de São Bento é a primeira de uma série de quatro feiras de agricultura familiar programadas para este ano. As outras três edições previstas são: uma em Açailândia de 8 a 10 de outubro; outra em Caxias, de 11 a 14 de novembro; e a última em Bacabal de 10 a 12 de dezembro.

Deputados divulgam novo manifesto pela saída de Cunha; veja a lista

Nenhum comentário:
Intitulado “Em defesa da representação popular”, documento lembra que, segundo investigações da Operação Lava Jato, Cunha recebeu US$ 5 milhões do esquema de corrupção instalado na Petrobras

POR FÁBIO GÓIS 
Congresso em Foco

Alvo da Lava Jato, deputado se vê cada vez mais pressionado pelos paresUm grupo de 35 deputados divulgou nesta quinta-feira (27) um manifesto pedindo a saída de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) do cargo de presidente da Câmara, com o argumento central de que o parlamentar fluminense pode virar réu do Supremo Tribunal Federal (STF) nos próximos dias. Intitulado “Em defesa da representação popular”, o documento lembra que, segundo investigações da Operação Lava Jato endossadas pela Procuradoria-Geral da República (PGR), Cunha recebeu US$ 5 milhões do esquema de corrupção instalado na Petrobras.

“O Ministério Público acusa Eduardo Cunha de corrupção e lavagem de dinheiro – referente ao recebimento de US$ 5 milhões de dólares deu um lobista e outras milionárias transações. Apurou-se também que Cunha se utilizou de requerimentos de informação para chantagear empresários que estariam com parcelas de propina em atraso – requerimentos esses originados em seu gabinete e assinados pela então deputada Solange de Almeida”, alegam os deputados, metade dos quais petista.

Na semana passada, deputados de dez partidos já haviam firmado a posição oficial contra a permanência de Cunha à frente da Casa. Cunha foi denunciado pelos crimes de corrupção e por lavagem de dinheiro. De acordo com a petição da PGR, a propina milionária serviu para facilitar e viabilizar a contratação do estaleiro Samsung, sem licitação, responsável pela construção dos navios-sondas Petrobras 10.000 e Vitoria 10.000.

Além dessa acusação, pesa contra Cunha a informação de que a ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), atual prefeita de Rio Bonito (RJ) e também denunciada ao STF, teria agido em parceria com o peemedebista em benefício mútuo. Os investigadores apuram uma possível participação de Cunha na apresentação de requerimentos da Câmara contra as empresas Samsung e Mitsui, representadas no Brasil por Camargo. As solicitações de processo de investigação contra as empresas foram assinados em 2011 por Solange, aliada de Cunha. A pressão parlamentar foi alvo de reportagens dos jornais O Globo e Folha de S. Paulo.

Confira a lista:

Adelmo Carneiro Leão (PT-MG)

Alessandro Molon (PT-RJ)

Arnaldo Jordy (PPS-PA)

Chico Alencar (PSol-RJ)

Chico D’Angelo (PT-RJ)

Clarissa Garotinho (PR-RJ)

Edmilson Rodrigues (Psol-PA)

Eliziane Gama (PPS-MA)

Érika Kokay (PT-DF)

Givaldo Vieira (PT-ES)

Glauber Braga (PSB-RJ)

Heitor Schuch (PSB-RS)

Hélder Salomão (PT-ES)

Henrique Fontana (PT-RS)

Ivan Valente (Psol-SP)

Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE)

Jean Wyllys (Psol-RJ)

João Daniel (PT-SE)

Jorge Solla (PT-BA)

José Stédile (PSB-RS)

Júlio Delgado (PSB-MG)

Leonardo Monteiro (PT-MG)

Leônidas Cristino (Pros-CE)

Leopoldo Meyer (PSB-PR)

Luiz Couto (PT-PB)

Luiza Erundina (PSB-SP)

Marcon (PT-RS)

Margarida Salomão (PT-MG)

Moema Gramacho (PT-BA)

Padre João (PT-MG)

Pedro Uczai (PT-SC)

Sérgio Moraes (PTB-RS)

Silvio Costa (PSC-PE)

Valmir Assunção (PT-BA)

Waldenor Pereira (PT-BA)

Polícia indicia por corrupção ex-Chefe da Casa Civil de Roseana Sarney

Nenhum comentário:
João Abreu teria recebido R$ 3 milhões em propinas do esquema Lava Jato para distribuir a integrantes do governo do Maranhão em troca de precatório milionário
João Abreu era chefe da Casa Civil do governo Roseana Sarney 

Por Ricardo Galhardo
O Estado de São Paulo

A Polícia Civil do Maranhão indiciou o ex-secretário da Casa Civil do governo Roseana Sarney (PMDB), João Abreu, por corrupção. Ele é suspeito de ter recebido R$ 3 milhões em propinas para garantir que o governo maranhense, na gestão Roseana, pagaria um precatório de R$ 134 milhões à empresa Constran-UTC.

O milionário precatório do Maranhão é um emblemático capítulo da Operação Lava Jato que escancarou o elo do doleiro Alberto Youssef, pivô da investigação sobre esquema de propinas na Petrobrás, com o empreiteiro Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia que virou delator e confessou cartel na estatal petrolífera entre 2004 e 2014.

Além do ex-secretário da Casa Civil de Roseana foram indiciados outros personagens importantes da Lava Jato – o próprio doleiro, o carregador de malas de dinheiro de Youssef, Rafael Ângulo Lopes, e Adarico Negromonte, irmão do ex-ministro do governo Dilma Rousseff Mário Negromonte, todos sob suspeita de terem operado os pagamentos.

A Polícia enquadrou, ainda, o corretor Marco Antonio Ziegert, o Marcão, suposto elo entre Youssef e o governo do Maranhão. O indiciamento se baseia em depoimentos e delações premiadas colhidas pela Lava Jato e testemunhos da contadora de Youssef, Meire Poza, e do sócio do doleiro no laboratório Labogen, Leonardo Meirelles, feitas pela própria Polícia Civil do Maranhão.

Segundo os depoimentos, Negromonte e Ângulo fizeram ao menos três viagens a São Luís a mando de Youssef nas quais levaram a propina em dinheiro vivo escondido no próprio corpo. De acordo com a Polícia Civil maranhense, o secretário reclamou da falta de R$ 1 milhão no montante da propina. Isso teria levado o próprio Youssef a ir até São Luís para resolver pessoalmente o problema.
Youssef foi preso em um hotel de luxo na capital maranhense no dia 17 de março de 2014. A prisão desencadeou a Lava Jato. De acordo com a Polícia Civil, enquanto Youssef era preso Marcão saiu do hotel com a propina que seria entregue a integrantes do governo Roseana.

“Na oportunidade da prísão de Youssef, Marcão não teria sido abordado pela Polícia Federal, embora estivesse no mesmo hotel, e conseguiu efetivamente levar o dinheiro da propina para membros do governo”, diz o relatório.

Em março deste ano, diante das revelações feitas pela Lava Jato, a juíza da 1.ª Vara da Fazenda Pública do Maranhão, Luiza Nepomucena, desobrigou o governo a pagar as parcelas restantes do precatório. Na mesma época a Constran rescindiu o acordo feito com a administração Roseana para quitação da dívida.

O governador do Maranhão, Flavio Dino (PC do B), que sucedeu Roseana no Palácio dos Leões, determinou a criação de uma comissão para apurar o caso. O advogado de João Abreu, Carlos Seabra, disse que ainda não teve acesso ao teor do indiciamento e pediu que as perguntas fossem enviadas por e-mail, mas não respondeu aos questionamentos.

Leia também

Doleiro afirma ter pago R$ 3 mi a chefe da Casa Civil de Roseana Sarney
Sucessor de Roseana investiga precatório do cartel de empreiteiras

Prefeitura diz que recursos federais da ordem de R$ 7,8 milhões não eram para construção da ponte 'Pai Inácio', no Turu

Nenhum comentário:
Quanto à construção da ponte do Pai Inácio, como já esclarecido, não havia recurso federal envolvido (foi usado integral e corretamente na obra do canal do Gangam) e a obra já começa a ser implantada através de uma parceria entre a Prefeitura e o Governo

A Prefeitura de São Luís esclareceu, nesta quarta-feira (26), que o recurso oriundo do governo federal, na ordem de R$ 7.831.431,22, enviado para a obra de Canalização e Retificação do Rio Gangan, foi totalmente gasto para este fim. 

Diferente do que foi noticiado em alguns blogs, a obra da ponte Pai Inácio, que vai ligar a rua General Artur Carvalho, no Turu, à Travessa Nossa Senhora da Vitória, no Parque Vitória, não estava incluída no âmbito do recurso do governo federal e vai, na verdade, ser construída com investimento próprio em uma parceria da Prefeitura com o governo do Estado.

A título de informação, o valor destinado pelo governo federal - Programa do Sistema de Drenagem e Mananciais de Águas Pluviais do Ministério das Cidades de caráter exclusivo para canalização e retificação de bacias em áreas de risco de alagamentos - tinha como objeto a obra de Canalização e Retificação do Rio Gangan. Dos R$ 7,8 milhões repassados, 100% foi aplicado pra este fim (veja documentos em anexo). 

A comprovação da utilização total do dinheiro pela prefeitura na obra do Rio Gangan põe fim ao factóide da oposição e atesta a idoneidade da gestão municipal na aplicação do recurso. Além disso, desmonta o discurso equivocado do deputado Wellington do Curso proferido na Assembleia Legislativa e dos blogueiros que lhe serviram de fonte. A obra do Canal do Rio Gangam foi anunciada pelo ex-prefeito João Castelo, mas foi concluída e urbanizada pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior, ganhando inclusive o asfaltamento das pistas que margeiam o canal, iluminação e outras obras complementares.

Quanto à construção da ponte do Pai Inácio, como já esclarecido, não havia recurso federal envolvido (foi usado integral e corretamente na obra do canal do Gangam) e a obra já começa a ser implantada através de uma parceria entre a Prefeitura e o Governo.

Na última segunda-feira, a prefeitura e o governo do Estado anunciaram a construção da ponte Pai Inácio, que vai ligar a rua General Artur Carvalho, no Turu, à Travessa Nossa Senhora da Vitória, no Parque Vitória. As obras seguem a todo vapor e os serviços de bate-estaca e fundação já foram iniciados.

PAI INÁCIO

A Ponte Pai Inácio será construída com recursos oriundos da parceria entre prefeitura e governo do Estado, conforme anunciado segunda-feira pelo prefeito Edivaldo Holanda Júnior e o secretário estadual de infraestrutura, Clayton Noleto.

A intervenção é mais uma ação realizada em parceria entre a Prefeitura de São Luís e o governo do Estado, executada como parte do Programa Interbairros, que visa criar vias alternativas para desafogar os grandes corredores de fluxo intenso da capital.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...